48 cães, muita dedicação e pouco apoio

19 de setembro de 2014

Entre os voluntários que dedicam tempo, dinheiro e abrem a própria casa para abrigar animais de rua e amenizar problema crônico na cidade, está Lúcia Riske, com batalhão de cachorros precisando de atenção

DSC_2368

A história da aposentada Lúcia Riske, contada pelo jornal ACONTECEU em 2013, continua praticamente igual. Moradora do interior do município, Lúcia cuida sozinha de um verdadeiro batalhão de cães, que foram abandonados pelos antigos donos ou socorridos das ruas em condições precárias. O cenário delicado que encara para manter os animais, e que Lúcia esperava reverter com ajuda popular ou do poder público, não mudou de um ano para outro — o que mudou foi o número de cães, que aumentou.

Hoje, segundo ela, são 48 cachorros, de variadas idades e raças, que convivem harmoniosamente devido à dedicação da aposentada, de organizá-los em canis improvisados com tamanho suficiente e comida paga do próprio bolso. Alguns, no entanto, estão doentes. O único apoio que recebe é de um voluntário, que doa ração para os animais. “Está difícil mantê-los. Quero cuidar deles, e estou fazendo o máximo que posso, mas seria bom se mais pessoas se sensibilizassem”, desabafa.

São Mateus do Sul não possui canil público e poucas ações são feitas em relação ao controle populacional de cães e gatos. A maioria vem de voluntários, que assumem sozinhos as ações. A criação de um centro de controle está nos projetos da Prefeitura, mas não inclui abrigo, focando basicamente na castração de animais de rua ou cujos donos não têm condições de bancar o procedimento.

Lúcia é uma das pessoas que abriu a própria casa para amenizar um problema crônico na cidade, por amor aos animais. Interessados em ajudá-la de alguma forma podem entrar em contato pelo telefone 888 1920 ou 8813 3325.

Comentários

Leia também:

Prefeito, vice e vereadores tomam posse em Antonio Olinto

Posse em Antonio Olinto

02 de janeiro de 2017

sem-titulo-1

Retrospectiva 2016

23 de dezembro de 2016