Serviço de alerta de geadas é lançado para auxiliar produtores a prevenir perdas agrícolas

06 de maio de 2016

Até o final do inverno, Simepar e Iapar oferecem previsões reavaliadas duas vezes ao dia

 

DSC_0040Foto: jornal ACONTECEU

 

Desde a última segunda-feira (2), é possível consultar a possibilidade de geadas em nossa região de forma mais precisa pela internet ou até por mensagem de texto.  O Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar) e o Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) lançaram o serviço Alerta Geada 2016.

Segundo os institutos, as previsões são elaboradas com 72 horas de antecedência e reavaliadas duas vezes ao dia com base em dados de temperaturas, pressão atmosférica, ventos e umidade do ar desde a superfície até aproximadamente 15 mil metros de altura. Além disso, são observadas imagens de satélites que possibilitam o acompanhamento das massas de ar frio.

O principal objetivo do Alerta Geada é auxiliar os produtores na prevenção e redução de perdas agrícolas devido à ação do ar frio sobre as plantações. Outros setores da economia também fazem uso do serviço, como comércio de vestuário, construção civil e turismo.

Até o final do inverno, as informações do Alerta Geada podem ser acessadas por meio de um ícone específico nas páginas www.simepar.br e www.iapar.br. Sempre que há risco de geada, um alerta prévio é emitido por e-mail ou SMS a extensionistas, técnicos e produtores rurais cadastrados. Se as condições para formação de geadas persistirem, outro aviso é enviado com 24 horas de antecedência da ocorrência prevista.

Interessados em receber os avisos do Alerta Geada por e-mail ou SMS devem se cadastrar no site do Iapar. O boletim informativo está disponível pelo telefone (43) 3391 4500 ao custo de uma ligação para aparelho fixo.

Apesar de o setor agropecuário ter sido o que mais se destacou na economia são-mateuense recentemente, em meio à crise econômica que afeta outros setores, o clima já prejudicou consideravelmente a produção local no período de fortes e constantes chuvas, no final de 2015. Agora, é a geada quem dá as caras.

 

Geada má e geada boa

Os agricultores locais que concluíram a safra de fumo e aproveitaram para entrar com milho ou feijão foram pegos de surpresa pela mudança no clima da semana passada, que foi de calor extremo para frio beirando zero grau. A primeira geada do ano, no final de semana, já prejudicou essas culturas. As perdas, contudo, não foram significativas em São Mateus do Sul, uma vez que poucos produtores ainda tinham produto para colheita.

Por outro lado, a geada também tem os seus benefícios para a alguns segmentos da agricultura local. Este mês, tem início o período de vazio sanitário, no qual o produtor não pode ter em sua lavoura plantas vivas de soja. A prática é uma das formas de manejo para evitar a ferrugem asiática. “O produtor precisa eliminar essas espécies que ficaram no solo para não transmitir a doença para a próxima safra. Se houver geadas nesse período, que vai de 15 de maio até 15 de setembro, elas acabam matando essas plantas e então não será necessário usar produto químico”, explica o técnico agropecuário da Emater em São Mateus do Sul, Antonio Ziemniczak.

Esta época do ano é para iniciar o plantio de adubos verdes, como aveia e azevém, culturas de inverno que acabam tendo uma função de proteção do solo contra erosão e ressecamentos, por exemplo, beneficiando também a questão ambiental.

 

Previsões

Segundo o meteorologista Cezar Duquia, as massas de ar frio que atingem a região costumam se originar nos polos ou ganhar intensidade no Pacífico Sul, de onde se deslocam em direção ao Paraná. Assim como o forte calor que marcou o primeiro mês do outono, o frio intenso deve ser passageiro. “Desfeito o bloqueio atmosférico que dificultou a progressão das frentes frias ou quentes sobre parte do Sul e do Sudeste do país, uma primeira massa de ar frio conseguiu movimentar-se pelo continente, resultando na queda das temperaturas verificada nos últimos dias”, afirma Duquia.

Tudo indica que a estação apresentará comportamento dentro da média no que se refere a temperaturas e chuvas. O fenômeno climático El Niño deve permanecer ativo até junho.

Comentários