São Mateus do Sul ocupa 28ª posição no ranking da produção agropecuária

15 de agosto de 2014

Dados do Deral, analisados pelo município, mostram importância dos pequenos produtores para resultado e potencial para crescimento em determinadas áreas

796agricultura2

Os dados preliminares do Valor Bruto de Produção (VBP) de 2013, divulgados pelo Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (Seab), colocam São Mateus do Sul na posição de número 28 no ranking da produção agropecuária paranaense. O desempenho, que mostra crescimento de 30% do faturamento no setor em relação ao ano anterior e detalha os resultados de cada tipo de cultura, serviu como um importante parâmetro para o município observar as áreas com destaque de crescimento e o potencial do município na agropecuária.

Com valor da produção avaliado em R$ 373.670.636,26 em 2013, a agropecuária são-mateuense rendeu mais com soja, batata, fumo, feijão, leite, frango, bovinos, suínos, erva-mate e madeiras, e está à frente das outras oito cidades que compõem a Associação de Municípios Sul-Paranaenses (Amsulpar).

Para o município, que analisou os dados apresentados pelo Deral em relação a todos os municípios paranaenses, o fato de os resultados apresentarem a produção de milhares de pequenos produtores rurais e agricultores familiares demonstra que a expressiva renda é distribuída para muitos, fazendo com que o município cresça de forma equilibrada. Além disso, em comparação aos municípios à frente, demonstram potencial para que o município cresça mais. “Dos 28 municípios com maior produção agropecuária, inclusive o nosso, todos têm a cadeia produtiva do frango, suínos e leite como componente da renda, dado importante porque demonstra onde nosso município pode crescer e aumentar as oportunidades e a renda dos produtores e do município”, observa o secretário municipal de Finanças, Renato Possebon. “Nosso município, embora tenha participação nesses três setores, tem potencial para crescer e agregar mais valor à produção, como também ampliar a distribuição de renda com o aumento do número de produtores”, completa.

No topo do ranking, encontram-se os municípios de Toledo, Cascavel, Castro, Marechal Cândido Rondon e Tibagi, cujo valor da cadeia produtiva está justamente ligado ao ramo de suínos, frangos e leite, e cujas produções agregam e fazem claramente a diferença em suas posições. “A região oeste do Estado, região com maior PIB na agropecuária, tem nos seus municípios grandes complexos agroindustriais, que, por sua vez, têm integração com os demais municípios ao redor e promovem o desenvolvimento econômico em toda a região, por esta razão é a região do Estado com melhores índices de desenvolvimento humano e de renda per capita”, analisa o secretário.

Os dados apresentados pelo Deral ainda demonstram o potencial de diversas outras culturas, que apresentaram crescente desempenho em outras cidades, como é o caso das olerícolas e do milho safrinha, e o agronegócio em si, para o desenvolvimento do município. “Devemos observar que a diversificação da produção de nosso município demonstra a participação da pequena propriedade rural e de agricultores familiares aliados ao agronegócio, convivendo com harmonia e tranquilidade, melhorando e distribuindo renda. Este fato coloca o município superando a produção de muitas outras cidades, o que é um dado importante e deve ser considerado, além de reconhecer o trabalho de todos os agricultores pelo profissionalismo de seus negócios e aplicação de tecnologia avançada e equipamentos modernos”, opina Possebon.

ranking

 

 

principais-produtos

Foto e infografia: jornal ACONTECEU

 

 

Comentários