Rede socioassistencial começa a receber alimentos da agricultura familiar

08 de abril de 2016

Aquisição dos produtos é feita pelo governo federal e recursos vão direto para as famílias são-mateuenses

 

DSC_0078Fotos: jornal ACONTECEU

 

As entidades da rede socioassistencial de São Mateus do sul começaram esta semana a receber alimentos da produção orgânica de famílias são-mateuenses. As entregas serão feitas semanalmente, marcando a retomada do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) no município, que possibilita o fortalecimento da agricultura familiar por meio da compra de alimentos com recursos do governo federal.

Assim como ocorreu nesta quarta-feira (6), as entregas serão feitas ao Centro de Referência em Assistência Social (Cras) que, na sequência, deve repassar os alimentos às entidades da rede. Os recursos para o Programa vêm do governo federal e são direcionados imediatamente para as 20 famílias cadastradas, via Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Desde o ano passado, quando o município sinalizou a intenção de retomar o PAA, encontros foram promovidos entre a Secretaria Municipal de Agricultura e as famílias interessadas para o suporte técnico necessário à sua inclusão no Programa e planejamento acerca da distribuição dos alimentos. A última reunião aconteceu no dia 30 de março e contou também com representantes da Conab, esclarecendo dúvidas dos participantes.

A grande vantagem da inclusão dessas famílias no PAA, segundo a Secretaria de Agricultura, é a garantia da venda de seus produtos. “O programa ajuda muito na organização da situação financeira dessas famílias e de sua produção”, comentou o então secretário, Beto Volochem, após a reunião de quarta. “Isso vai favorecer muito esse tipo de produção ecologicamente correta e mais saudável em nosso município”.

O agricultor Valmor da Silva, da localidade de Lajeadinho, fornece produtos como hortaliças, mandioca, milho e abóbora, e já faz parte do cadastro da Conab há pelo menos quatro anos, mas sua produção até então era transportada para Curitiba. “É uma oportunidade boa para nós, e agora é interessante porque fica para o município. Também melhora a logística, gerando menos perdas”, comenta.

Marinez Maciel Portes, da mesma localidade, faz parte da Cooperativa Terra Livre há três anos, e fica feliz que suas hortaliças orgânicas agora possam beneficiar os sãomateuenses. “Para nós é muito melhor distribuir aqui na cidade. Esse programa fazia falta por aqui”.

Segundo o Cras, o programa começa beneficiando sete entidades registradas no Conselho Municipal de Assistência Social.

 

Comentários