Pesca de espécies nativas está restrita com início da piracema

06 de novembro de 2015

IAP e Polícia Ambiental devem reforçar ações de fiscalização no período

 

pescaFoto: Arquivo/Polícia Ambiental

 

Desde o último domingo (1º) está restrita a pesca de espécies nativas nos rios do Paraná, por determinação do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Ibama) e Instituto Ambiental do Paraná (IAP), para preservar o período no qual a maioria das espécies se reproduz, conhecido como piracema.

Entre as espécies que estão protegidas por essa restrição estão o Bagre, o Pintado, o Lambari, o Dourado e o Jaú. A pesca fica permitida apenas para as espécies exóticas, que foram introduzidas no ambiente pelos seres humanos, como a Carpa, a Tilápia, o Tucunaré, o Apaiari e outras.

Segundo o IAP, a fiscalização deve ser reforçada em locais onde, historicamente, há concentração de pescadores e registros de pesca predatória e infrações ambientais, em conjunto com a Polícia Ambiental. A pessoa que for flagrada pescando em desacordo com as restrições determinadas pela portaria será enquadrada na lei de crimes ambientais. A multa é de aproximadamente R$ 700 por pescador e mais de R$ 20 por quilo de peixe pescado. Além disso, os materiais de pesca, como varas, redes e embarcações poderão ser apreendidos pelos fiscais.

A pesca está restrita para a piracema até o dia 28 de fevereiro de 2016.

Comentários