Adapar alerta sobre a importância da vacinação do gado para prevenir a brucelose

18 de março de 2016

Fiscal agropecuário abordou o assunto durante sessão da Câmara Municipal desta semana

 

DSC_1153Foto: jornal ACONTECEU

 

Uma doença de fácil contaminação foi o tema discutido ao final da sessão da Câmara Municipal de São Mateus do Sul de segunda-feira (14). A reunião contou com a presença do veterinário e fiscal da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Weston Lemos Weidling, que falou sobre a importância da vacinação dos animais para prevenir a brucelose, e sobre os cuidados com o consumo e manipulação da carne e derivados de animais contaminados.

Segundo ele, a brucelose atinge principalmente os bovinos, mas pode atingir também outros rebanhos e contaminar o ser humano, causando sérios transtornos. “Aqueles que tratam os animais contaminados, como veterinários, tratadores, e aqueles que preparam ou manipulam a carne crua, como açougueiros e donas de casa, estão correndo o risco de contaminação pelo contato com a carne, já que a doença é causada por bactéria e não é difícil a sua contaminação”, explicou. No ser humano, a brucelose pode apresentar sintomas como uma gripe, mas pode causar sérios problemas em articulações, como joelho, coluna e quadril. Pode atacar órgãos como o fígado o intestino, pulmões e até a pele e o globo ocular.

Conforme a Adapar, é obrigatória a vacinação em todas as fêmeas entre três e oito meses de idade e a realização de marcação no rosto do animal, preferencialmente uma vez por semestre. “A notificação é realizada pelo próprio veterinário que alimenta o sistema de informações. Sem a vacina os animais não podem ser transportado, não se consegue a Guia de Transporte Animal (GTV)”, alertou o fiscal. Uma pesquisa demonstrou que cerca de 90% das propriedades da região possuem menos de 20 animais, portanto, o veterinário defende que seria interessante a realização de um convênio para o poder público cobrir os custos de vacinação desse gado das pequenas propriedades, para evitar a todo custo essa doença.

Questionado, o veterinário informou que não há indenização para animais sacrificados em função da brucelose, ao contrário da febre aftosa e tuberculose, e o tratamento para o gado contaminado é bastante alto.

 

Sessão de semana

A última sessão da Câmara contou com a aprovação de projetos de crédito adicional suplementar do Executivo; indicações para manutenção de estradas e bueiros; e também requerimentos pedindo, entre outros, informações à Prefeitura a respeito de fiscalização de contratos; dados do Terminal Rodoviário; destino da verba arrecadada com a venda do antigo terreno da Secretaria de Agricultura; e esclarecimentos sobre a situação atual do Estádio Municipal Olívio Wolff do Amaral.

Comentários