Adapar alerta para estratégias de controle da ferrugem asiática

02 de setembro de 2016

Calendarização do cultivo da soja aparece como mais uma estratégia para reverter este cenário

 

ferrugem trifólio

 

Com informações Adapar

A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), que estabelece normas, padrões e procedimentos para a sanidade da produção agropecuária, fiscalizando propriedades rurais, comércio de insumos, trânsito estadual e interestadual, eventos, frigoríficos, estabelecimentos industriais e demais elos envolvidos na produção agropecuária do estado, alerta para as estratégias de controle da ferrugem asiática. A doença é causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi, que só sobrevive na presença de plantas vivas de soja, e gera elevadas perdas econômicas aos agricultores, pois reduz a produtividade e aumenta os custos de produção.

Segundo a Adapar, os fungicidas indicados para a ferrugem vêm perdendo eficiência continuamente devido à elevada pressão de seleção, que é causada pelo uso do mesmo produto em aplicações sequenciais e pelo excessivo número de aplicações. Para amenizar esta situação, a Agência suspendeu 67 marcas comerciais de agrotóxicos que apresentaram eficiência abaixo da média dos produtos cadastrados. As marcas suspensas não poderão ser receitadas para o controle da ferrugem da soja, porém outras 24 marcas permanecem aptas para recomendação e serão reavaliadas na safra 2016/17.

Levando isso em conta, a calendarização do cultivo da soja aparece como mais uma estratégia para reverter este cenário: não deve haver plantas de soja emergidas antes do dia 16 de setembro, e a data limite para a semeadura é 31 de dezembro. Após 15 de maio todas as áreas devem estar com as plantas colhidas ou dessecadas, e as plantas de germinação espontânea devem ser eliminadas até 14 de junho, pois dia 15 de junho inicia-se o período do vazio sanitário da soja. Muito conhecido pelo produtor paranaense, o vazio sanitário da soja visa evitar a sobrevivência do fungo, para atrasar a ocorrência da doença na safra normal, e vai até 15 de setembro. Em todo o Paraná, está proibido o cultivo de soja em sucessão à soja, na mesma área e no mesmo ano agrícola.

Se uma área com plantas de soja apresentando ferrugem estiver sem controle, a Adapar pode determinar que o proprietário, arrendatário ou ocupante faça a eliminação imediata da lavoura inteira.

Em São Mateus do Sul, há uma Unidade Local de Sanidade Agropecuária da Adapar (Rua Agenor Nascimento, 541, telefone: 3532 6847), que conta com funcionários preparados e à disposição para esclarecimentos e mais informações. Mais sobre a Agência também em www.adapar.pr.gov.br.

Comentários